Doença do carrapato: sintomas, tratamento e prevenção

Os animais de estimação ainda estão sujeitos a diversas doenças difíceis de evitar.

Um desses casos é a doença do carrapato.

Não há vacinas que protejam contra estes parasitas.

E ainda mais grave: não podemos ter certeza de que os animais estarão imunes às doenças que eles podem transmitir.

Veja: 15 sinais que avisam quando seu cachorro está doente

O carrapato marrom (Rhipicephalus sanguineus) é o responsável por dois tipos diferentes de doenças que são designadas popularmente como “doença do carrapato”.

Elas podem ser apresentadas individualmente ou ao mesmo tempo, o que é ainda mais perigoso.

Abaixo, você vai aprender a identificar, tratar e como tentar prevenir o seu pet.

Veja: 12 alimentos que são tóxicos para cães e gatos

Como saber se meu animal de estimação tem a doença do carrapato?

Doença do carrapato: sintomas, tratamento e prevenção

Os principais afetados pela doença do carrapato são os cães.

Casos em outras espécies são raríssimos, embora não sejam impossíveis.

Se o seu cachorro for muito ativo e mudou de comportamento de repente, preocupe-se.

Esta doença não é a única capaz de provocar este tipo alteração comportamental, mas seja qual for a causa, é um sinal de alerta.

Pode ser mais difícil notar alterações comportamentais como esta em cachorros que não são tão ativos.

Por isso, você pode prestar atenção em diversos outros sinais, como:

– Falta de apetite;

– Sensibilidade ao tato;

– Inchaço das articulações;

– Manqueira;

– Inflamação na área onde o carrapato esteve;

– Febre;

– Dores;

– Fadiga.

Veja: 4 razões para você castrar seu pet

O que eu posso fazer para ajudar meu cachorro?

Se você desconfiar que seu pet está com doença do carrapato, leve-o imediatamente ao veterinário.

O tratamento precoce oferece mais chances de uma recuperação completa.

Ignorar os sintomas pode causar a morte do animal.

Ao visitar um profissional, ele fará exames laboratoriais para descobrir se o cachorro contraiu Erliquiose (Erhlichia canis), que afeta os glóbulos brancos, Babesiose (Babesia canis), que ataca os glóbulos vermelhos, ou ambas.

Assim ele poderá medicar o animal apropriadamente.

O acompanhamento será muito importante mesmo após a identificação da bactéria correta.

Isto porque elas podem ser muito resistentes e o tempo de tratamento pode variar até a eliminação completa.

Veja: Como escovar os dentes do gato

É possível prevenir?

Como dissemos no início do texto, não há vacinas contra a doença do carrapato.

Mas você pode tomar alguns cuidados para que seu cachorro não seja afetado.

O parasita precisa ficar ao menos 4 horas preso ao corpo do hospedeiro para que possa transmitir a bactéria.

Portanto, se você seguir as dicas abaixo, dificilmente deixará seu pet exposto.

– Observe bem o pelo depois dos passeios;

– Tente não levar o animal a locais infestados;

– Se houver um carrapato preso ao corpo do cão, remova-o com cuidado;

– Mantenha o ambiente onde seu pet vive sempre limpo;

– Use regularmente produtos anti-pulgas e carrapatos no seu cachorro, como remédios e coleiras especiais;

– Tente evitar passeios em lugares onde o mato seja muito alto.

– Considerações finais

– Embora não existam garantias de que podemos manter os cães completamente protegidos da doença do carrapato, ela tem cura.

– É importante sempre prestar atenção no comportamento do seu animal de estimação e procurar assistência veterinária sempre que desconfiar de que há algo de errado.

Seu animal de estimação já teve carrapato?

Deixe um comentário sobre a sua experiência.

Veja: Como tosar o cachorro em casa

Adicionar comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.