Saiba o que causa o herpes labial e como evitar o surgimento das lesões

O herpes labial é consequência da infecção viral a partir da família do Herpesvírus Humano (HHV), especificamente o Herpesvírus Simples (HSV), um vírus de DNA.

Existem dois tipos de HSV que agem de maneira diferente:

HSV-1: que é passado através da saliva e lesões periorais ativas e melhor se adapta e atua mais eficientemente nas regiões oral, facial e ocular, atingindo em sua maioria lábios, olhos, pele acima da cintura, região intraoral e faringe.

É ele o que causa o herpes labial.

HSV-2: passado pelo contato sexual e que envolve a região abaixo da cintura e as genitálias.

Veja Também: 5 maneiras de tratar o herpes labial naturalmente

O que causa o herpes labial é a exposição ao HSV-1 que acontece, geralmente, durante a juventude.

São beijos e abraços que roçam feridas ativas em pessoas que nunca tiveram contato com o vírus que desencadeiam uma reação parecida com o quadro de gripe ou resfriado para criar anticorpos.

Essa situação é chamada de infecção primária.

Veja Também: 9 doenças que você pode pegar com um simples beijo na boca

Durante a infecção primária, é possível que o que causa o herpes labial também seja precursor de uma condição chamada “gengivoestomatite herpética primária aguda”, bastante comum em crianças de 6 meses a 5 anos de idade, quando são infectadas.

O desenvolvimento antes dos 6 meses é raro, graças aos anti-corpos anti-HSV maternos, mas são desenvolvidos pequenos “pontos” em forma de vesículas (bolhas menores) que estouram e formam úlceras rasas, irregulares e muito dolorosas.

Geralmente, acompanha também sintomas de linfadenopatia cervical anterior (nódulos linfáticos com tamanho e número aumentados), febre (39,5ºC a 40,5ºC), náusea, vômito e irritação.

Antes de entrar em recorrência, o vírus HSV entra em um período de latência ou “estacionamento”.

O que causa o herpes labial fica inativo e as pessoas se tornam aptas a manter um contato íntimo com outras pessoas novamente.

A partir do momento em que o vírus está instalado, as lesões começam a recorrer continuamente ao ativar e desativar.

Os sintomas dolorosos aparecem, assim como o desconforto estético e social.

A infecção passa a ser chamada de secundária, recorrente ou recrudescente.

Veja Também: Feridas na boca: o que pode ser e como tratar?

As ativações das lesões que são passíveis de transmitir o quadro e são o que causa o herpes labial em outras pessoas, podem acontecer devido a situações como:

– Idade avançada;

– Estresse físico ou emocional;

– Fadiga ou cansaço excessivo;

– Gravidez;

– Alergias;

– Doenças respiratórias;

– Exposição excessiva ao sol;

– Outras infecções presentes;

– Febre;

– Doenças sistêmicas (diabetes, hipertensão arterial e doença renal crônica, por exemplo);

– Presença de câncer ou tratamento a ele.

Veja Também: 6 sinais de que você tem algum tipo de DST na boca

Como evitar o que causa o herpes labial?

Saiba o que causa o herpes labial

Foto: Wikipedia

É simples: não converse ou tenha contato com pessoas que já tiveram herpes ou a tem ativa.

Atualmente, existem muitos estudos que dizem que indivíduos que já foram infectados com o herpes continuam a disseminar os vírus mesmo quando estão inativos.

Veja Também: 5 sinais de que você pode ter algum tipo de DST (Doença Sexualmente Transmissível)

O período de incubação – tempo decorrido da exposição ao aparecimento dos sintomas – é de 3 a 9 dias e os sintomas devem desaparecer em até 7 a 10 dias.

Caso o contrário, um cirurgião-dentista patologista deve ser procurado para designar opções de tratamento.

Veja Também: 3 sinais de alerta que sua boca pode estar enviando sobre sua saúde

Como evitar o que causa o herpes labial é um pouco impossível, dado que teríamos que evitar amigos, colegas ou até cônjuges, a eliminação do HSV é discutível sem sucesso.

O que existe, atualmente, é um controle da situação já instalada e de sintomas como dor, formigamento, prurido (coceira), calor e inflamação, que aparecem de 6 a 24 horas antes da ativação do HSV.

Veja Também: Saiba como curar aftas na boca com remédios naturais

Como evitar o surgimento das lesões

Infelizmente, o único meio de evitar o surgimento das lesões é não ser infectado.

Caso contrário, dicas para um bem-estar geral como dieta e a prática de exercícios podem evitar baixa imunidade e evitar o aparecimento.

Mas, cuidado.

Estresse também é um dos fatores que causa herpes labial, assim como problemas hormonais e altos e baixos emocionais como um todo.

Não se frustre, mas essa tarefa pode se tornar um pouco difícil.

Não existem tratamentos para regredir a situação, mas, para lutar contra os sintomas desagradáveis.

O HSV é um vírus com tempo de ativação e inativação dependente do seu estado geral e não específico.

Veja Também: 3 razões pelas quais você deve se preocupar com a gengiva inflamada

Cuidados para evitar a contaminação

Descubra o que causa o herpes labial e como evitar o surgimento das lesões

Foto: Wikimedia Commons

Não compartilhe nada: copo, talheres ou qualquer que seja o produto de uso pessoal e intransferível.

Não preciso nem falar sobre as escovas dentais, certo?

Veja Também: 5 Coisas Nojentas que Podem se Esconder na sua Escova de Dente

Não beije: é comprovado que é possível a contaminação mesmo em períodos inativos do HSV.

Você pode optar por um relacionamento platônico ou evitar contato durante os períodos ativos – onde os vírus estão mais agressivos.

Veja Também: Maneiras inocentes de contrair HPV que você nunca imaginou

Não permita contato com bebês: a contaminação do HSV em crianças menos de 5 anos pode ser fatal, pelo sistema imune pouco desenvolvido. S

e existem parentes ou mesmo você esteja com a lesão ativa, evite contatos muito íntimos.

Veja Também: 8 primeiros sintomas da AIDS que todo mundo deve saber

Mantenha-se saudável: se o herpes pode ser um problema pra você – como mãe ou pai, por exemplo – o ideal é seguir uma dieta balanceada e praticar exercícios.

Além de ser um apoio físico, auxilia no domínio das emoções pela liberação de hormônios que resultam num bom humor, evitando episódios de estresse e picos emocionais, evitando a recorrência do problema.

Veja Também: Não ignore esses 36 sintomas, eles podem sinalizar uma DST

Adicionar comentário