O que você precisa saber sobre cirurgia bariátrica

Os números não mentem: a cada ano, cresce cada vez mais o número de obesos ao redor do mundo. Nos EUA, mais de 5o% da população é obesa. Em 2011, quase metade da população brasileira estava pelo menos acima do peso. A projeção para os próximos anos, é que metade da população mundial vai estar acima do peso.

Veja Também: Obesidade: sua vida pode está em risco

Apesar de crescer cada vez mais um movimento contra essa realidade que vivemos, promovendo uma vida saudável com dietas e exercícios, não são todos que conseguem sair da condição de obeso sozinhos. Em muitos casos, existem outras doenças associadas, como o hipotireoidismo e até mesmo depressão. Com isso, a perda de peso se torna mais difícil e penosa para a pessoa. É nesses casos que a cirurgia bariátrica é não somente indicada mas, muitas vezes, necessária.

Antes de optar pela cirurgia bariátrica, eu recomendo que você conheça um programa de emagrecimento que está revolucionando a forma de emagrecer. Clique para assistir o vídeo de apresentação desse programa que foi feito exclusivamente para mulheres.

Cirurgia bariátrica

O que é a cirurgia bariátrica?

A cirurgia bariátrica, nada mais é do que a redução do estômago, através de um remodelamento. O cirurgião irá “inativar” uma grande parte do seu estômago e, o outro pedaço pequeno, será ligado ao seu intestino, transmitindo tudo aquilo que você come para ser digerido. O estômago é responsável pelo armazenamento dos alimentos e o início da digestão de alguns deles, as proteínas. Na cirurgia bariátrica, o médico reduz o tamanho do estômago, a fim de reduzir o peso de indivíduos que estão na condição de obesidade mórbida.

Veja Também: As 10 cirurgias plásticas mais procuradas

Eu posso fazer cirurgia bariátrica?

A cirurgia bariátrica, assim como qualquer outra cirurgia, apresenta riscos. Submeter o corpo de uma pessoa à uma condição cirúrgica é perigoso, e só deve ser realizado em casos extremos. Por isso mesmo, a cirurgia bariátrica só é indicada para pessoas com obesidade mórbida. Se você não sabe se tem essa condição, procure um médico ou procure calcular seu IMC. Na internet, existem várias calculadoras em que, fornecendo apenas seu peso e altura, você já tem o resultado na hora. Se o resultado acusar obesidade, procure um médico.

Veja Também: Cirurgia Plástica, vale apena o risco?

Quais são as vantagens e desvantagens da cirurgia bariátrica?

Do ponto de vista médico, a cirurgia bariátrica oferece vários benefícios para a saúde do paciente. Com a redução do peso, a maioria dos pacientes não apresentam mais pressão alta e nem diabetes. Os níveis de colesterol diminuem, o paciente apresenta mais vitalidade para realizar até atividades simples que, antes do procedimento, podiam causar cansaço.

Veja Também: 10 maneiras fáceis de emagrecer

Além disso, o paciente, à partir do momento que passa a receber mais elogios e vestir roupas de número menor, tem sua auto-estima elevada. Mesmo que muitos digam que “ser magra” não é elogio, uma pessoa que já esteve em condição de obeso mórbido, ouve isso como música para seus ouvidos. Com o passar do tempo, muitas pessoas que se trancavam em casa, com vergonha do seu próprio peso, voltam a ter uma vida social normal.

Veja Também: Top 5 exercícios para perder barriga

Depois da cirurgia bariátrica

No entanto, a cirurgia bariátrica também apresenta desvantagens. A perda de peso em vários casos faz com que a pessoa fique flácida (com “pelancas”) principalmente na barriga e embaixo do braço. Com isso, muitas mulheres continuam se sentindo inseguras, tendo que se submeter à uma cirurgia plástica.

Veja Também: Exercícios para enrijecer o músculo do tchau

Se você também pensa que está livre de dietas, está enganada. À partir do momento que o tamanho do seu estômago é reduzido, comer demais pode fazer você se sentir mal. Inclusive, alguns alimentos, como pão e carne vermelha, serão mais difíceis de digerir.

Veja Também: Dieta certa para um emagrecimento saudável

Por isso, antes e após a cirurgia deve ser realizado acompanhamento com um nutricionista e um psicólogo. O nutricionista basicamente te ajudará na nova dieta, indicando quais alimentos você pode consumir e a quantidade ideal de cada um deles. Já o psicólogo é fundamental para fazer com o que seu cérebro se acostume com quantidades menores. Sim, essa história de “cabeça de gordo”, mesmo que pareça uma brincadeira, não é. Por isso, o psicólogo é fundamental para te ajudar à entender que, após a cirurgia bariátrica, você não pode continuar se alimentando da mesma maneira que se alimentava antes.

Veja Também: 9 Formas de driblar a vontade de comer doce

Alimentação depois da cirurgia bariátrica

Um parênteses importante…

Atualmente, não são raros os casos de pessoas que passam a comer mais para ganhar peso e entrar na faixa de obesidade mórbida, com a intenção de se tornar um candidato à cirurgia bariátrica. Por favor, se você é uma dessas pessoas, ou se você já pensou em fazer isso, não faça.

Veja Também: Exercícios para emagrecer em casa

A obesidade mórbida é uma condição em que, basicamente, a maior parte do nosso peso é constituído de gordura. Apesar de parecer simples, não é. Para manter o organismo funcionando, com tanta gordura acumulada, o coração tem que bombear mais sangue e, principalmente, os hormônios do organismo passam a atuar de uma forma diferente. Com isso, quadros como pressão alta e diabetes são extremamente comuns e, infelizmente, ambos são extremamente graves – e podem ter complicações ainda mais sérias. Logo, é importante você entender que a obesidade não significa uns quilos a mais na balança – é uma doença séria.

Veja Também: Dicas para você emagrecer com saúde

Portanto, se você quer emagrecer mas não é uma candidata à cirurgia bariátrica, procure outros métodos para perder peso. Existem vários profissionais, como endocrinologistas e nutricionistas, que podem indicar dietas, suplementos e exercícios adequados para o seu corpo e sua condição física. Uma dica para você que quer começar a emagrecer mas não pode procurar um profissional: reduza sua alimentação e caminhe, pelo menos, 30 minutos por dia.

Add Comment