Nova pesquisa sobre estresse e obesidade revela algo surpreendente

Vivemos em um país onde as taxas de obesidade aumenta, tanto em adultos quanto em crianças. Ao mesmo tempo, os nossos níveis de stress também estão extremamente altos e uma pesquisa recente reforçou a ligação entre estresse e obesidade.

O relaxamento e a gestão do stress são de vital importância não só para nossa sanidade e saúde mental, mas para a saúde física também.

Uma consequência física grave do estresse crônico é o potencial de aumento de peso – e ganhar muito peso, como sabemos, vem com seu próprio conjunto de problemas (Obesidade: sua vida pode está em risco)

estresse e obesidade

Um novo estudo preocupante

Um novo estudo realizado pela Universidade do Departamento de Saúde e Performance Humana de Houston (HHP) e pelo Centro de Pesquisas sobre Obesidade do Texas (TORC) encontrou uma ligação entre estresse e obesidade (15 dicas para eliminar o estresse da sua vida).

Para este estudo, os pesquisadores analisaram os dados de pouco mais de 4.700 adolescentes que nasceram entre os anos de 1975 e 1990 e observaram três pontos de tensão de origem familiar: estresse financeiro, ruptura no seio da família e problemas de saúde com a mãe (7 Alimentos que aumentam o nível de estresse).

Eles, então, compararam esses dados para verificar quais adolescentes eram obesos aos 18 anos, tentando encontrar uma ponte de ligação entre estresse e obesidade.

Em seus resultados, os autores do estudo escreveram:

A acumulação de ruptura familiar, de conflitos e estresse financeiro foi positivamente relacionada com adolescentes do sexo feminino e seu excesso de peso / obesidade.

A exposição das crianças a comportamentos de risco à saúde materna foi positivamente associada com maior status de peso para adolescentes do sexo masculino.

O estresse total acumulado foi relacionado ao excesso de peso / obesidade nas mulheres, mas não nos homens.

De um modo geral, os resultados do estudo mostram que mulheres e homens reagem de maneira diferente frente ao estresse. Este estudo, definitivamente, serve para estender nosso conhecimento a respeito de estresse e obesidade.

O desenvolvimento de estratégias para ajudar com pontos de tensão familiar durante a infância pode ajudar as crianças a manter o peso saudável na idade adulta.

Veja Também: Sedentarismo: Não deixe ele te matar

O estudo conclui, então, que embora indivíduos do sexo masculino e feminino reajam de formas diferentes quando lidam com situações estressantes, há sim uma ligação entre estresse e obesidade e ela não pode ser ignorada.

Veja: Como pessoas comuns estão obtendo 1 ano de resultados em emagrecimento em apenas 8 semanas. Detalhe: utilizando somente 15 minutos por dia

Entenda melhor a ligação entre estresse e obesidade

Como o estresse pode levar um indivíduo a cometer excessos?

Um fator é a serotonina, o hormônio responsável pela sensação de bem-estar. Níveis reduzidos de serotonina, que ocorrem durante o estresse, podem levar ao desejo de consumir carboidratos já que eles aumentam temporariamente os níveis desse hormônio.

Conheça: 8 alimentos que melhoram humor

No entanto, isso pode ser um ciclo vicioso, uma vez que alguns carboidratos, especialmente carboidratos insalubres, tais como farinha refinada e açúcar, são viciantes e podem causar inflamação, aumentando ainda mais o risco de ganho de peso e comprovando a ligação entre estresse e obesidade.

O desejo de comer demais – ou comer emocionalmente – não é a única maneira que o estresse pode levar à obesidade. Alguns dos hormônios do corpo podem variar devido ao aparecimento do estresse. Um elemento importante é o cortisol, às vezes casualmente chamado de “hormônio do estresse”.

Quando o estresse se torna crônico, o corpo começa a produzir cortisol. Os níveis de cortisol muito elevados por um longo período de tempo vem sendo associados com o acúmulo de gordura na barriga (Bebida secreta que derrete a gordura da barriga em 4 dias).

Este tipo de gordura é particularmente perigosa, uma vez que tende a revestir os órgãos vitais do corpo e pode ser um catalisador na inflamação de todo o sistema.

O que é pior é que a própria gordura da barriga pode fazer com que o corpo libere ainda mais cortisol, levando a um ciclo de autoperpetuação tanto do estresse quanto do ganho de peso.

Veja: Como perder gordura da barriga em 2 semanas

Mulher gorda com estresse

Mude seu estilo de vida para minimizar o estresse

Agora que você já sabe que há uma ligação cientificamente comprovado entre estresse e obesidade, saiba também que, felizmente, há muitos hábitos saudáveis que você pode adotar para minimizar o estresse.

Conheça: O caminho para uma alimentação saudável

Veja algumas dicas a seguir:

1. Mantenha uma dieta saudável. Deixe de lado os alimentos processados e foque em alimentos integrais e nutritivos, incluindo a abundância de frutas e legumes. Certifique-se também de beber muita água (5 maneiras geniais para você beber mais água)!

2. Exercite-se regularmente. Treinar pode fazer maravilhas para reduzir seus níveis de estresse. Tente exercitar-se por pelo menos 20 minutos a cada dia (Um curso completo de 6 semanas que você precisa no máximo se dedicar 21 minutos por dia para atingir finalmente o seu peso ideal).

3. Medite. Mesmo cinco minutos de manhã e cinco minutos antes de ir para a cama podem ajudar muito. À medida que você se acostumar com essa prática antiga e altamente eficaz, você pode prolongar a duração das sessões de meditação (Como perder peso fazendo 7 coisas simples todas as manhãs).

4. Pratique Yoga. Essa prática fará com que você se sinta relaxada e zen.

5. Tenha boas noites de sono. Seu corpo precisa de pelo menos 7 ou 8 horas a cada noite. Certifique-se de dormir bem (Veja como melhorar o sono com Feng Shui)!

2 Comentário

  1. Fernando fevereiro 20, 2016
  2. Paloma guterres julho 28, 2017

Adicionar comentário