Corrimento vaginal: quando ele pode indicar um problema

Devemos ficar atentas quanto a eventuais problemas relacionados ao corrimento vaginal.

Apesar de a maioria das vezes ser normal, o corrimento pode estar associado a vários problemas como câncer, infertilidade, dentre outros.

Nesse artigo você encontrará esclarecimentos sobre o tema e será capaz de perceber se há algo de errado com você.

Tome nota!

Veja Também: 7 alimentos para manter sua vagina saudável

Mais: Infecções vaginais – Infográfico

Corrimento vaginal: quando ele pode indicar um problema

Corrimento vaginal “normal”

O corrimento Vaginal que chamamos de “normal” é um corrimento sem odor, com uma coloração transparente, esbranquiçada, leitosa e espessa.

Devemos ficar sempre atentas quanto a irritações, coceiras, vermelhidão, porque qualquer um desses sintomas ligam o alerta de que algo não vai bem.

É bom saber, que o Corrimento vaginal dito “normal” pode ser bastante aumentado em períodos férteis, com o uso de anticoncepcionais ou na gravidez pois são períodos onde a estimulação hormonal é aumentada e com isso o corrimento pode ser mais espesso e em maior quantidade.

Veja Também: Como saber se estou ovulando

Mais: Fertilidade feminina

Corrimento vaginal “anormal”

O corrimento vaginal, também dito leucorreia, vaginite ou vulvovaginite são alterações “anormais” das secreções vaginais, percebemos alterações como coceiras, vermelhidão, dor ao urinar, corrimento esbranquiçado, leitoso e geralmente com cheiro forte, isso pode ser sinais de doenças como:

  • Candidíase
  • Tricomoníase
  • Vaginose bacteriana
  • Gonorréia
  • Clamídia
  • Alergia

Vamos agora explicar um por um para que não fique dúvida nenhuma.

Veja Também: Verrugas Genitais: Quais as Causas?

Candidíase

A cândida albicans, é um fungo, faz parte da flora normal de toda mulher, o problema é que alguns fatores podem contribuir para que a proliferação deste fungo aconteça, e com essa proliferação, ou seja, com a flora normal alterada acarretará alguns sintomas indesejáveis. Ocorrendo o que chamamos candidíase.

Lembramos que, como disse anteriormente, a cândida albicans faz parte da flora natural de toda mulher e isso não lhes causa sintomas nenhum, o problema só acontece quando há uma proliferação desse fungo.

São vários os fatores que podem contribuir para que essa proliferação aconteça, alguns deles são:

  • Uso excessivo de antibióticos
  • Diabetes
  • Estresse
  • Imunossupressão, dentre outros.

A candidíase se manifesta, claro! Com sintomas nada agradáveis como coceira(prurido), ardor ao urinar, corrimento vaginal geralmente com odor desagradável (mas pode não ter), dor durante o ato sexual.

Veja Também: Vulvite e Vulvovaginite: veja como acontecem e como se prevenir

Tricomoníase

A Trichomonas vaginalis ou tricomoníase é uma doença sexualmente transmissível (DST), geralmente se manifesta por um corrimento amarelo-esverdeado de odor desagradável.

Geralmente se manifesta com sintomas como:

  • vagina inflamada (vaginite)
  • dor ao urinar (se assemelha bem a dor de infecção do trato urinário)
  • dor durante a relação sexual
  • vulva irritada
  • dolorida
  • coceira

Veja Também: Você sabe se prevenir contra HPV?

Vaginose bacteriana

Quando se fala em vaginose bacteriana, logo, para quem entende do assunto se pensa em Gardnerella vaginalis, mas, não é bem assim.

A vaginose bacteriana tem como característica o crescimento de múltiplas bactérias, como a MYCOPLASMA HOMINIS, BACTEROIDES, GARDNERELLA VAGINALIS, FUSOBACTERIUM, entre outras.

O sintoma mais comum é o corrimento acinzentado com o odor muito desagradável semelhante à de um “peixe podre”.

Conheça: Maneiras inocentes de contrair HPV que você nunca imaginou

A verdade que ninguém nunca contou a você sobre HPV

Gonorreia:

É uma DST, ou seja, uma doença sexualmente transmissível causada pela bactéria NEISSERIA GONORRHOEAE OU GONOCOCO geralmente essa bactéria se prolifera na uretra.

A maioria das mulheres não apresentam sintomas. Entre uma das consequências pela contaminação desta bactéria, está a infertilidade, pois pode causar uma infecção no útero.

Mais: 8 segredos embaraçosos que você deve contar para o seu ginecologista

Clamídia:

Também é uma doença sexualmente transmissível, causada pela bactéria CHLAMYDIA TRACHOMATIS, pode estar associada ou não a gonorreia.

Também, como a gonorreia, a maioria das mulheres não apresentam sintomas. Nas que apresentam sintomas, os principais são:

  • Sangramento vaginal
  • Dor durante a relação sexual
  • Ardência ou dor ao urinar

Veja Também: Descobertas surpreendentes sobre a infertilidade

Alergia:

Vários sintomas como os ditos acima podem ocorrer (ardência, dor ao urinar, coceira, vermelhidão) quando ocorre a alergia.

Mas, alergia a que?

Alergia a sabonetes íntimos, camisinha, lubrificantes, dentre outros. E essa pode levar ao aparecimento do corrimento vaginal.

Veja: 10 dicas de saúde para as mulheres

Características do Corrimento vaginal

tipos de corrimento vaginal

Corrimento vaginal amarelo:

Geralmente está associado à tricomoníase que como já dito anteriormente é uma doença sexualmente transmissível, ou seja, transmitida principalmente pela relação sexual. Mas também pode estar relacionada a gonorreia ou clamídia.

Os principais sintomas são:

  • dor durante o coito
  • vulva irritada, dolorida e com coceira

Veja Também: 10 sinais de que você precisa ir ao ginecologista

Corrimento vaginal branco:

Pode ser o caso do corrimento normal como mencionamos no início do artigo, mas se houver coceira, vermelhidão, ou se você notar que o corrimento é mais puxado para o cinza, pode ser um dos principais sintomas da candidíase, mas também pode estar relacionado à vaginose bacteriana, nesse caso haverá um odor muito desagradável.

Veja: 10 coisas que você deve perguntar ao seu ginecologista

Corrimento vaginal marrom:

Aqui irá depender de uma série de fatores, ou seja, a presença ou não de coceira, vermelhidão, dor ao urinar…. Se assim for pode se tratar de gonorreia ou clamídia.

Mas, existem outros fatores que podem ocorrer deixando esse corrimento marrom:

  • Final de menstruação
  • Corpo estranho perdido dentro da vagina (como resto de absorvente interno, resto de camisinha)
  • Nos primeiros dias de gravidez, logo com a implantação do embrião no útero, isso pode ocorrer
  • Infecções
  • Câncer ginecológico

Veja: 6 Exames médicos que toda mulher deve fazer

Diagnóstico do corrimento vaginal

Para melhor diagnosticá-la, ninguém melhor que seu médico ginecologista, portanto, se notou algo de errado, não hesite em ir ao médico, lá ele(a) irá te avaliar, e poderá explicá-la sobre seu tipo de corrimento, o ginecologista poderá também fazer uma cultura daquele corrimento para melhor diagnóstico!

Veja: 5 hábitos que prejudicam a saúde íntima feminina

Tratamento para o corrimento vaginal

Não há um tratamento único para o corrimento vaginal, portanto, se você notou que há algo de errado, procure rapidamente o ginecologista, ele poderá prescrever antibióticos, antifúngicos dentre outros.

Portanto fique ligada! Se você notou que algo não vai bem, procure o médico rapidamente para melhores esclarecimentos e tratamentos!

Veja Também: Síndrome de Ovário Policístico atinge 10% das mulheres

Adicionar comentário