8 segredos embaraçosos que você deve contar para o seu ginecologista

Todos nós temos segredos, mas alguns deles, se não forem contatos ao médico, podem nos machucar.

Um problema que para você não passa de vergonhoso, pode ser o sintoma de uma doença não diagnosticada e que, provavelmente, tenha tratamento.

Você esconde do seu médico algo do passado?

Você pode achar que é irrelevante para sua condição atual, mas o médico pode achar uma informação importante. E se você está tentando engravidar, é ainda mais importante ser honesta com o médico.

Veja: Planos de saúde: vantagens e desvantagens

Confira aqui oito segredos que as mulheres não contam aos médicos e os motivos pelos quais você deve compartilhá-los a partir de agora:

8 segredos embaraçosos que você deve contar para o seu ginecologista

1. Dores na hora da relação sexual

Sexo não deve ser doloroso. Um desconforto, vez ou outra, pode ser considerado normal, mas se você sente dores regularmente durante as relações sexuais, fale para o seu médico.

Dores na hora do sexo podem ser sintomas de diversas condições de saúde, muitas delas podem afetar a fertilidade, como a endometriose, fibroide, adesão pélvica e doença inflamatória pélvica. Todas elas, além de causar dores durante as relações sexuais, podem causar infertilidade se não tratadas.

Dor durante o sexo também pode tornar o ato de engravidar mais difícil. Algumas mulheres sentem dores durante as relações principalmente perto do período de ovulação, que é exatamente o período em que elas precisam fazer sexo para engravidar.

Outras sentem dores por causa do ressecamento vaginal, que não só deixa o sexo desconfortável, como prejudica as chances de ficar grávida.

Conheça: 10 fatores que comprometem a fertilidade feminina

2. Crescimento excessivo de pelos faciais e corporais

Se você reparou um crescimento incomum de pelos no seu corpo, você provavelmente depila e se livra dele. Seu médico nunca vai reparar essa condição e você, provavelmente, não vai achar relevante contar a ele o que você está passando. Porém, você deveria.

O excesso de pelos faciais e corporais é um sintoma provável de disfunção hormonal. A causa mais comum disso é a Síndrome do Ovário Policístico. Outras causas possíveis são hiperplasia adrenal, hiperandrogenismo, resistência à insulina, síndrome de Cushing e tumores do ovário.

Todas essas condições, além de causar infertilidade, são prejudiciais à sua saúde como um todo. Por isso, você pode continuar a se depilar, mas fale para o seu médico.

Veja: 10 coisas que você deve perguntar ao seu ginecologista

3. Cólicas intestinais

Cólicas “saudáveis” geralmente são desconfortáveis, mas nunca dolorosas. Há uma série de condições que podem causar dores intestinais. A endometriose, por exemplo, pode causar dor na hora de eliminar as fezes e até mesmo na hora de urinar. Esses sintomas geralmente pioram durante a menstruação.

Outra causa comum é a Sindrome do Intestino Irritado. Nesse caso, a doença não afeta a fertilidade, no entanto, é normal que a síndrome e a endometriose apareçam ao mesmo tempo.

A endometriose é difícil de ser diagnosticada. Por isso é importantr que você compartilhe seus sintomas com um médico.

Conheça: 10 sinais de que você precisa ir ao ginecologista

4. Ressecamento vaginal

Quando a mulher é estimulada sexualmente, as glândulas vaginais produzem uma secreção para deixar a relação sexual mais confortável e também para dar condições de sobrevida ao espermatozoide.

Se a mulher está passando por um período de ressacamento dessa secreção, ela e o parceiro podem achar que é por falta de estímulos. Se eles continuarem com a relação sexual, a mulher pode sentir dor.

Muitas vezes essas mulheres sentem vergonha por não produzirem essa secreção e achar que a culpa é dela por não se sentir estimulada. Por isso, esse assunto pode nunca ser mencionado em uma consulta médica.

No entanto, o ressecamento vaginal pode ser causado por disfunção hormonal, infecção vaginal, ou irritação, além de poder ser uma reação a algum medicamento.

Você pode até usar um lubrificante para deixar o sexo mais confortável, mas nunca deixe de contar ao seu médico. Dependendo da causa, o médico pode prescrever supositórios de estrogênio.

Conheça: 7 alimentos para manter sua vagina saudável

5. Você teve uma DST no passado

Se você teve uma doença sexualmente transmissível no passado que foi tratada com antibióticos, você pode achar que não é mais uma informação relevante para o seu médico. Mas você deveria pensar duas vezes, especialmente se você estiver planejando uma gravidez.

Enquanto os antibióticos estão tratando a infecção, as doenças sexualmente transmissíveis podem deixar cicatrizes em órgãos reprodutores e os remédios não podem tratar essas feridas.

Uma das consequências dessas cicatrizes é o bloqueio das trompas de falópio, que podem causar infertilidade. Você pode ter outros sintomas além da incapacidade de conceber um bebê, mas não ache que a falta de dor queira dizer que está tudo bem.

Se você não quer que saibam que seu parceiro teve uma doença sexualmente transmissível no passado, lembre-se de que o seu médico não pode compartilhar suas informações pessoais com ninguém.

Conheça: Maneiras inocentes de contrair HPV que você nunca imaginou

6. Odor vaginal diferente

Odores corporais geralmente são associados à falta de higiene e, para isso, há sabonetes e desodorantes. Mas se você perceber um odor vaginal diferente, não disfarce com desodorantes íntimos.

Odores vaginais estranhos podem ser sinal de infecção que, durante a gravidez, pode até causar um parto prematuro.

Infecções na vagina também deixam o corpo mais suscetível a outras doenças sexualmente transmissíveis. Essas infecções, se não tratadas, estão associadas à doença inflamatória pélvica, que pode causar infertilidade.

Esses são bons motivos para, ao invés de mascarar os odores com desodorantes, ligar para o médico e marcar uma consulta com o ginecologista.

Veja: Infecções vaginais – Infográfico

7. Falta de interesse no sexo

“Eu não tenho vontade de fazer sexo”, soa como algo que você pode dizer a um psicólogo, não ao seu ginecologista. Mas a falta de desejo sexual pode ser sinal de um problema de ordem médica.

O desejo sexual está enraizado na bioquímica do nosso corpo. Quando você está se aproximando da ovulação – o seu período mais fértil – hormônios acarretam ao aumento do desejo sexual .

Esta é a maneira da natureza de certificar-se que os seres humanos façam sexo no melhor tempo para fazer bebês.
Se você não sente desejo sexual, pode ser sinal de um desequilíbrio hormonal. Fale com o seu ginecologista sobre isso!

Veja: 6 Exames médicos que toda mulher deve fazer

8. Sexo sem segurança

Falar ao seu ginecologista que você está fazendo sexo sem proteção pode ser estranho. Mas a boa notícia é que ele não está lá para te julgar. Ele está lá para de ajudar e precisa saber se você está fazendo sexo sem camisinha.

Infecções sexualmente transmissíveis podem aparecer depois de apenas um encontro sem proteção, e pessoas de todas as classes sociais e econômicas podem obtê-las.

Elas também são uma causa comum de infertilidade que pode ser evitável. Quanto mais tempo elas são deixados sem tratamento, mais danos elas podem causar ao seu sistema reprodutivo.

O mais preocupante é que muitas DSTs são silenciosos nas mulheres. Em outras palavras, não há nenhum ou poucos sintomas visíveis .

Se você já teve relações sexuais desprotegidas – ou está preocupados com o seu parceiro – peça ao seu médico para ser testado para doenças sexualmente transmissíveis. Você não precisa dar todos os detalhes. Você pode apenas solicitar o teste, e deixar por isso mesmo .

Adicionar comentário