5 Direitos da Gestante Beneficiária de Plano de Saúde

Um dos grandes sonhos de muitas mulheres é engravidar e quando esse momento chega a ansiedade para ver o rostinho do bebê deve ser a única preocupação das futuras mamães.

Uma forma de garantir mais tranquilidade é ser beneficiária de plano de saúde para usufruir de direitos essenciais.

Para te ajudar a entender um pouco melhor vamos explicar abaixo os 5 direitos que as beneficiárias tem e que fazem toda a diferença.

Veja Também: Planos de saúde: vantagens e desvantagens

Mais: Checklist pré-gravidez: 8 coisas que você precisa fazer antes de engravidar

Direitos da Gestante Beneficiária de Plano de Saúde

Direitos da Gestante Beneficiária de Plano de Saúde

1 – Amplitude de Cobertura

Para que a gestante tenha mais tranquilidade nessa fase tão bonita da vida é importante contar com um plano de saúde com cobertura ampla. No momento de contratar o seu plano fique atenta a que tipo de cobertura ele oferece. O melhor é optar pela cobertura integral em que estão contidas as consultas médicas, exames, procedimentos de ambulatório, internação e o parto.

Esse tipo de plano é definido como ambulatorial + hospitalar com obstetrícia. Não adianta muito contratar um plano de saúde que não ofereça essa cobertura completa uma vez que a gestante precisa de todo suporte que for possível para aguardar a chegada do bebê e para dar a luz a ele.

Veja: 11 coisas que você precisa fazer antes de engravidar

2 – Troca de Plano

Se durante a gestação a beneficiária de plano de saúde desejar trocar de operadora poderá fazê-lo desde que cumpra os prazos de carência. Em alguns casos a operadora nova aceita os prazos de carência do plano atual.

Existe ainda a possibilidade de se valer da chamada portabilidade que consiste em levar o seu plano atual para outra operadora. Nesse caso a única condição é ter pelo menos dois anos no plano que se pretende deixar.

Veja Também: Quantos quilos posso engordar na gravidez?

3 – Cancelamento de Plano

Existem duas situações em que o plano de saúde de uma gestante pode ser cancelado, a primeira delas é em caso de inadimplência de mais de 60 dias. Sendo assim se a beneficiária do plano de saúde não mantiver os pagamentos em dia corre o risco de perder os seus direitos de uso do mesmo.

A segunda hipótese em que o plano pode ser cancelado é se houver constatação de algum tipo de fraude.

Veja Também: É seguro usar cosméticos durante a gravidez?

4 – Tempo de Carência

Essa é uma das informações mais importantes para as gestantes, pois se trata das carências máximas que podem ser aplicadas pelos planos de saúde.

  • No caso de consultas, exames e procedimentos afins o prazo é de no máximo 180 dias.
  • Já para o parto (que ocorre a partir de completadas 38 semanas) o prazo é de 300 dias. Se o parto em questão for prematuro, ou seja, acontecer até ter 37 semanas completas o prazo de carência passa a ser de 180 dias.

Conheça: 22 benefícios que só quem é mãe na juventude conhece

5- Direitos no Parto

O parto deve ser cercado de cuidados e tranquilidade para que mãe e filho possam aproveitar da melhor maneira esse momento e a beneficiária de plano de saúde tem uma série de direitos importantes que devem ser respeitados. Para começar o ambiente em que a mamãe dará a luz deve ser seguro e ter a infraestrutura necessária para tal.

Para que o parto aconteça em segurança é exigida a presença de especialistas como médico obstetra, enfermeiros obstetras, pediatras entre outros. Quem deseja acompanhamento de uma doula* deve consultar se a maternidade em que dará a luz permite a presença dela. Tem alguns hospitais que permitem, mas que exigem que as doulas tenham formação na área da saúde.

Veja Também: Dieta da placenta: o que é e como funciona

*Doula – A palavra tem origem no grego e significa “mulher que serve”, atualmente, as doulas trabalham oferecendo para as gestantes apoio emocional e físico durante toda a gestação até mesmo no parto quando possível.

Adicionar comentário