7 Coisas sobre DIU, SIU e implante subcutâneo que você precisa saber

Ser mãe é o sonho de muitas mulheres, mas é sempre importante se prevenir para não ter uma gravidez indesejada, afinal, um filho muda a vida das pessoas e é sempre bom que venha com planejamento.

Se você procura um método contraceptivo diferente do anticoncepcional, vamos esclarecer nesse artigo 7 dúvidas sobre DIU, SIU e implante subcutâneo que vão te ajudar a decidir se esses métodos são os que você deseja.

Mas antes de decidir usar o DIU, SIU ou implante subcutâneo, entenda que a camisinha é o único método que previne doenças sexualmente transmissíveis, se você decidiu deixar de usar por ter um parceiro fixo tenha certeza de que ele não é portador de nenhuma doença e que não irá se relacionar com outras parceiras ou parceiros, mesmo dentro do casamento ou de um relacionamento exclusivo o uso da camisinha é indicado pelos ginecologistas.

O que são o DIU, SIU e Implante subcutâneo?

O que são o DIU, SIU e Implante subcutâneo?

O Implante Subcutâneo é um bastãozinho de 4cm fino, que é colocado sob a pele da mulher. Ele contém um hormônio chamado etonogestrel, que já é um hormônio comumente utilizado em anticoncepcionais.

O DIU é o Dispositivo Intrauterino e o SIU é o Sistema Intrauterino, os dois são colocados dentro do útero por meio de um procedimento simples realizado em consultório médico.

A diferença é que o DIU é feito de Cobre e não tem hormônios enquanto o SIU é uma versão com o hormônio progesterona.

Veja Também:

12 efeitos que a pílula anticoncepcional pode provocar no seu corpo

Conheça 5 mitos sobre o anticoncepcional

O que você precisa saber antes de suspender a menstruação

Como os implantes funcionam no corpo e quanto tempo duram?

O SIU fica no útero da mulher liberando a progesterona gradualmente, isso evita a ovulação e assim a gravidez. Já o DIU, que não tem hormônios, funciona como um repelente de espermatozoides, ele transforma o útero da mulher em um lugar hostil para o esperma, impedindo que eles cheguem às trompas, onde fecundam o óvulo e causam a gravidez.

O Implante subcutâneo fica implantando sob a pele do braço que a mulher não usa tanto, portanto se ela for destra o implante vai ficar no braço esquerdo. Ele vai liberar o etonogestrel da mesma forma que o SIU, evitando a ovulação e assim os espermatozoides não vão ter óvulos para fecundar ao chegar as trompas.

O DIU pode durar até 10 anos, enquanto o SIU dura até cinco anos e o implante subcutâneo dura apenas três anos.

Veja Também: Método Contraceptivo Ideal para cada mulher

Qual o método mais eficaz?

Os números indicam que o implante subcutâneo é o mais eficaz, estando à frente até mesmo da camisinha e da pílula anticoncepcional. Sendo que houve uma gravidez a cada 2.000 mulheres que utilizaram o implante subcutâneo.

O SIU apresentou uma gravidez a cada 500 mulheres que usaram o sistema, e o DIU apresentou uma gravidez a cada 125 mulheres que utilizaram o dispositivo. O DIU infelizmente pode acabar saindo do lugar e por não ter hormônios torna-se inútil.

A camisinha sozinha apresenta 18 a 21 gravidezes a cada 100 mulheres, enquanto a pílula apresenta 9 gravidezes a cada 100 mulheres que utilizam esse método. Todas as taxas de falha média correspondem a um ano.

Lembrando que utilizando o DIU, SIU, implante subcutâneo ou pílula em parceria com a camisinha diminui ainda mais as chances de gravidez.

Veja Também: 8 segredos embaraçosos que você deve contar para o seu ginecologista

O DIU, SIU e implante subcutâneo podem causar infertilidade?

Não, a mulher pode engravidar a qualquer momento. Se você deseja usar um desses para evitar uma gravidez no momento, mas tem planos para engravidar no futuro, fique tranquila.

Uma mulher que possuiu DIU, SIU ou implante subcutâneo ainda em ação, e resolve engravidar, precisa apenas falar com seu médico.

Será realizada uma remoção do dispositivo contraceptivo e a mulher já pode tentar uma gravidez logo após a primeira menstruação depois da retirada.

Veja Também: 10 sinais de que você precisa ir ao ginecologista

Qualquer mulher pode usar?

Sim, os implantes subcutâneos, DIU e SIU não contêm o hormônio estrogênio, portanto não há contra indicação, mas é importante que seu médico faça alguns exames antes para ter certeza de que está tudo bem com você.

Conheça: 6 Exames médicos que toda mulher deve fazer

Os métodos tem algum efeito colateral?

Sim, no início a mulher pode ter dores de cabeça, enjoos e dores nas mamas, como também acontece com as pílulas anticoncepcionais, mas esses efeitos perduram apenas pelas primeiras semanas.

A menstruação da mulher geralmente é alterada, o sangramento se torna irregular e tende a diminuir. Não é uma regra geral, portanto algumas mulheres podem reduzir o sangramento até parar e outras podem continuar menstruando normalmente.

Esse período de adaptação deve perdurar entre os quatro e seis primeiros meses após a colocação do implante subcutâneo, DIU ou SIU.

A alteração na menstruação não muda a eficácia de nenhum dos métodos e o corpo continua saudável, também podem acontecer os pequenos sangramentos prolongamentos, chamados mancha na calcinha.

Cerca de 85% das mulheres que usam os métodos se dizem satisfeitas com o padrão da menstruação.

Veja Também: 13 Razões para menstruação atrasada

Quanto custa?

O implante subcutâneo, DIU ou SIU, mais o custo do procedimento acabam girando em torno de R$900 a R$2.000 variando de acordo com cada consultório.

Mas é possível colocar o DIU por meio do SUS, basta procurar um posto de saúde e agendar uma consulta com um ginecologista.

Veja Também: Planos de saúde: vantagens e desvantagens

Adicionar comentário