17 medicamentos perigosos que você usa sem prescrição médica

Responda com sinceridade você tem certeza que todos os medicamentos que consome no seu dia a dia são adequados e seguros?

Quando as pessoas sentem uma dorzinha chata de cabeça ou mesmo aquela cólica do primeiro dia de menstruação o mais natural é procurar um remédio qualquer na farmacinha de casa e esquecer o problema. Porém, ao fazer isso muitas pessoas estão se expondo a medicamentos perigosos.

O grande risco está no fato de que temos a falsa crença de que os MIPs (Medicamentos Isentos de Prescrição) são seguros pelo simples fato que não precisam da chancela de um médico para serem adquiridos na farmácia.

Medicamentos Isentos de Prescrição Médica

Se você se preocupa com a sua saúde e o bem-estar da sua família, a dica é conferir abaixo a lista de 17 tipos de medicamentos perigosos que você toma sem nem pensar.

O perigo dos medicamentos

Os riscos provenientes desses medicamentos não dizem respeito propriamente e tão somente a sua composição, mas sim a forma como as pessoas os utilizam em seu dia a dia. Usar determinados tipos de medicamento sem medida de quantidade e de forma errada é o que cria grande risco.

Esses medicamentos podem também acarretar em reações adversas como alergias ou conflito com outros medicamentos.

Veja Também: 6 Suplementos Naturais que Potencializam o Emagrecimento

Mais: 7 Remédios Caseiros para Acabar com a Caspa Naturalmente

As 17 classes de medicamentos perigosos que você usa no seu dia a dia

medicamentos perigosos que você usa sem prescrição médica

Os medicamentos podem ser divididos em categorias, a seguir listamos as 17 classes de medicamentos que são usados sem prescrição médica e que podem afetar o seu bem-estar.

1. Analgésicos e antitérmicos

Essa é a principal categoria de medicamentos que são usados sem prescrição médico no dia a dia. O destaque nessa classe vai para dois medicamentos bastante conhecidos das pessoas: o Paracetamol e AAS.

O primeiro pode causar dano no fígado devido ao uso prolongado e a liberação de hepatoxinas e o segundo pode ocasionar sangramento gástrico.

Consulte o seu médico se persistirem sintomas como dores e febre.

Veja Também: Dor de cabeça: Dicas para entender e combater

Mais: Dores de cabeça frequentes merecem atenção

2. Antialérgicos

Nessa categoria estão os antialérgicos e também os anti-histamínicos que são usados por grande parte da população que vive com o incômodo de reações alérgicas.

As condições de poluição e aumento dos processos industriais dos alimentos, fez com que as pessoas se tornassem mais sensíveis a alergias.

O uso prolongado desse tipo de medicamento pode causar, entre outros problemas, sensação de sedação, dores de cabeça e engrossamento das mucosas.

Veja Também: Alergias de pele: 5 maneiras de cuidar

Mais: 5 tipos diferentes de alergia ao gluten

3. Antifúngicos

Quase todo mundo já teve micoses, como o famoso pé-de-atleta, e usou para se livrar do problema algum antimicótico ou antifúngico.

Muitos desses medicamentos estão a venda somente com prescrição médica, no entanto, ainda tem alguns que estão livres para a compra dos consumidores.

Ao se automedicar numa situação de infecções, doenças como candidíase, dermatofitoses o paciente pode acabar tornando a cura do problema mais difícil e ainda piorar os sintomas tópicos.

Veja Também: Saiba como prevenir e tratar a Infecção Urinária

Mais: Você sabe como se proteger da candidíase?

4. Relaxantes musculares

O grande risco que medicamentos, como o Carisoprodol, oferecem é o vício, a sensação de sedação e alívio das dores musculares pode fazer com que o indivíduo se torne dependente. Pode causar também sonolência.

Por isso que essa classe é considerada uma classe de medicamentos perigosos.

Veja Também: Remédios para emagrecer que não prejudicam a saúde

Mais: Remédios para emagrecer: o que ninguém te contou sobre eles

5. Descongestionantes nasais

Você sabia que algumas pessoas se tornam dependentes de descongestionantes nasais? Por isso que os médicos alertam que eles não devem ser usados por mais do que 5 dias seguidos.

O resultado do uso prolongado desse tipo de medicamento é o surgimento da chamada rinite medicamentosa.

Veja Também: 8 Alimentos venenosos que você adora comer

Mais: 10 alimentos que viciam mais que a cocaína

6. Colírios

Os médicos chamam os populares colírios de soluções oftálmicas e em muitos casos prescrevem esse item como uma forma de oferecer mais conforto aos seus pacientes. No entanto, muitas pessoas usam sem recomendação médica e/ou abusam da dose.

Quando os colírios são usados demasiadamente, podem aumentar a secreção lacrimal, causar lesões oculares e até mesmo problemas como glaucoma.

Veja Também: Infecções e riscos das lentes de contato

Mais: Lentes de contato: esclareça suas dúvidas

7. Xaropes para tosse

Um tipo de medicamento sem necessidade de prescrição médica que é muito usado em crianças. Os expectorantes, xaropes para tosse, são usados em casos em que há tosse com catarro. O objetivo é tornar a textura do mesmo mais viscosa para facilitar a sua remoção.

O uso costuma ser inofensivo, mas pode ter efeitos colaterais como diarreias, reações alérgicas caracterizadas por erupções cutâneas, anafilaxia entre outras.

8. Anti-inflamatórios

Outra classe de medicamentos que faz parte do cotidiano de muitas pessoas e que pode representar um sério risco se usado demasiadamente.

Dentre as consequências, que o uso desse tipo de medicamento pode ter, estão dores de estômago, enjoos, vômitos e até mesmo o surgimento ou perfuração de úlceras.

Veja Também: 5 alertas que suas unhas podem estar enviando sobre sua saúde

Mais: 5 Causas de Zumbido no Ouvido e Tratamentos Caseiros

9. Antieméticos

Talvez por esse nome você não saiba de que tipo de medicamentos se trata, mas provavelmente irá reconhecer as suas aplicações para tratar sintomas como náuseas e vômitos.

O uso abusivo desse tipo de medicamento é muito perigoso porque pode causar sonolência, inquietude, incapacidade de concentração, fala enrolada como se o indivíduo estivesse embriagado, dores de cabeça e até mesmo problemas gastrointestinais.

Veja Também: 9 maneiras de eliminar o mau hálito para sempre

Mais: 8 Sinais de infarto em mulheres

10. Antiácidos

Quando você sente que comeu algo que não caiu bem procura logo por um antiácido, não é mesmo? Pois, saiba que esse é um dos tipos de medicamentos perigosos que oferece maior risco de interação com outros medicamentos trazendo resultados desastrosos.

Com o passar do tempo se o uso se torna constante pode se tornar difícil absorver os nutrientes provenientes dos alimentos.

Veja Também: Perda de memória constante? Você pode estar com excesso de cândida!

Mais: Previna o Alzheimer e a Perda de Memória com um Ingrediente Natural

11. Anticoncepcionais

Um exemplo de um tipo de medicamento que demanda a orientação e prescrição médica, mas que muitas pessoas escolhem de acordo com a sua própria cabeça.

Não se deve brincar com a ingestão de hormônios, pois entre as consequências que isso pode trazer estão aumento da pressão arterial que pode acarretar em trombose.

Veja Também: 12 efeitos que a pílula anticoncepcional pode provocar no seu corpo

Mais: 7 Coisas que acontecem com seu corpo quando você para de tomar a pílula anticoncepcional

12. Antiespasmódicos

Algumas mulheres sofrem com cólicas fortíssimas durante o período menstrual e para remediar a situação fazem uso de antiespasmódicos como Buscopan, por exemplo.

Porém, esse tipo de medicamento pode trazer sérios problemas de saúde como a sensação constante de boca seca, visão turva e até mesmo taquicardia.

O problema pode ficar ainda mais sério se ocorre a mistura de um antiespasmódico como Buscopan com um analgésico como Dipirona, por exemplo, que pode causar confusão mental, sensação de estupor e em alguns casos até a morte.

Veja Também: 8 sinais de alerta que sua língua pode estar enviando sobre sua saúde

Mais: Esses chás podem derreter a gordura do fígado e você nunca ouviu falar sobre eles

13. Isotônicos, os repositores eletrolíticos

Submeter-se a atividade física por tempo prolongado faz com que o seu corpo perca sais e água devido ao suor. Para fazer a reposição da hidratação muitas pessoas, especialmente atletas, usam os isotônicos.

Quem opta pelas versões em pastilha efervescente pode acabar preparando o mesmo de maneira errada. A consequência disso é uma superdose de reposição eletrolítica que é perigosa podendo elevar a quantidade de sódio no organismo.

Veja Também: Alimento poderoso que reduz o apetite, defende o coração e afasta a diabetes

Mais: Ciência revela o exercício secreto que promete aumentar a longevidade

14. Antiulcerosos

Os medicamentos dessa classe como o Omeprazol, por exemplo, devem ser vendidos com prescrição médica, porém, é muito fácil adquiri-los sem a indicação de um profissional.

Em geral esse tipo de medicamento serve para fazer o tratamento de problemas como úlcera e gastrite ou mesmo para ser uma proteção do estômago (para quem vai tomar outros medicamentos).

O uso prolongado desse tipo de medicamento pode esconder sintomas de outras doenças como câncer de estômago sem contar que o próprio uso pode causar problemas de saúde.

Veja Também: 20 sinais de que você pode ter algum tipo de câncer crescendo em seu corpo

Mais: 7 exames necessários na prevenção do câncer

15. Antifiséticos intestinais

Um dos problemas mais inconvenientes para se ter é o de gases intestinais. É quase impossível de disfarçar e por isso mesmo muitas pessoas procuram o uso de medicamentos antifiséticos que atuam reduzindo o mal-estar gástrico que pode causar os gases.

De uma maneira geral esses medicamentos não são perigosos, mas podem ter alguns efeitos colaterais como gerar eczema de contato que consiste numa reação alérgica inflamatória.

Veja Também: Bebida potente para aumentar imunidade: Basta 1 copo

Mais: Corrimento vaginal: quando ele pode indicar um problema

16. Antiacneicos

Uma categoria de medicamentos que parece inofensiva para a saúde é de cosméticos para o tratamento da acne, porém, como esses produtos têm como principal agente o ácido salicílico podem oferecer o risco de desenvolvimento de salicilismo, isto é, alergia ao ácido.

Os médicos observaram nos últimos anos que mais pessoas desenvolveram esse tipo de reação alérgica devido ao maior uso desses produtos. Uma intoxicação de ácido salicílico pode levar o indivíduo ao coma.

Veja Também: Furúnculos: Causas, Sintomas e Tratamentos

Mais: Como evitar e tratar a Acne na fase adulta

17. Vitamina C

Um dos melhores exemplos de como o excesso do uso de um determinado tipo de medicamento pode transformá-lo de mocinho em vilão rapidamente.

A vitamina C pode ser muito positiva para a saúde, porém, estudos alertam que se for consumida em quantidade exagerada por tempo prolongada aumenta consideravelmente o risco de desenvolvimento de pedras nos rins.

Esses são apenas alguns exemplos de medicamentos perigosos, consulte seu médico antes de se automedicar.

Veja Também: Planos de saúde: vantagens e desvantagens

Mais: 5 Direitos da Gestante Beneficiária de Plano de Saúde

3 Comments

  1. Jamilton dezembro 24, 2016
  2. Zene Xavier abril 16, 2017
  3. Zene Xavier abril 16, 2017

Add Comment